A era do PWA

A era do PWA

Progressive Web Apps, PWA, é uma metodologia de desenvolvimento que busca transformar a experiência vivida pelo usuário em dispositivos mobile e desktop, fazendo com que soluções digitais apresentem características de aplicações nativas, consumindo menos dados e sem a necessidade de ser feita a instalação.

Atualmente, o PWA tem tomado uma maior proporção, consequência de iniciativas que impulsionam a técnica, vindas de grandes empresas de tecnologia, como Google e Microsoft.

Em 2015, logo após a Google identificar que a maioria dos sites estavam sendo acessados por dispositivos móveis, surgiu uma oportunidade de oferecer funcionalidades parecidas com a de aplicativos nativos. E isso trouxe à tona o PWA, definido pela Google como confiável, engajante e rápido.

E a proposta é justamente essa, fazer com que seus usuários tenham uma melhor experiência com Web Apps e que conteúdos possam ser compartilhados de uma forma mais democrática, sendo acessíveis a pessoas com todos os tipos de dispositivos e conectividades.

Sendo considerado como o futuro do desenvolvimento Web, o PWA também é mais barato para ser desenvolvido do que aplicações nativas. Confira abaixo o que é e o por que você deve dar uma maior atenção a este tema.

A proposta do PWA é fazer com que os websites possuam as funcionalidades dos apps nativos, como funcionamento offline, ícone na tela principal do dispositivo usado, atualização automática e notificações push, sem a necessidade de que o usuário baixe todos os dados da aplicação.

Falando de uma forma mais técnica, a metodologia PWA é um aperfeiçoamento das tecnologias Web. Ele também pode ser visto como uma combinação ou uma evolução híbrida entre sites e aplicativos mobile.

Existem algumas tecnologias Web por trás de toda metodologia PWA, elas são:

  • Service Worker
  • Cache API
  • Notificações Push
  • Web App Manifest

Mesmo que você não seja um desenvolvedor, ter noção do que essas tecnologias são e o saber como elas agem dentro do PWA é muito importante para conseguir compreender o potencial que ele apresenta. Abaixo irei explicar a vocês, de maneira resumida, como cada uma se comporta e o que ela influencia nessa metodologia.

1. Service Worker

O Service Worker é um sistema que intercepta as requisições da aplicação, e guarda os resultados no lado do cliente. Isso permite uma velocidade de consumo dos dados extremamente veloz, e permite que a aplicação funcione offline. Atua como uma espécie de cache, como já conhecemos.

2. Cache API

Cache API é uma forma de se armazenar as requisições feitas localmente, para que quando solicitadas novamente, elas sejam mais performáticas. Esse conceito consiste em salvar uma cópia de uma requisição ou uma rota específica de forma a utilizar ela novamente para que seja possível consumir posteriormente mais uma vez, sem a necessidade de fazer uma nova requisição.

3. Notificações Push

Provavelmente, esta seja a ferramenta na qual estamos mais familiarizados, visto que é usada por todos os Apps para nos alertar sobre atualizações, notícias, sinalizações de falta de uso do aplicativo e demais informações.

As notificações Push são usadas para notificar os usuários de determinados serviços sobre diversas funcionalidades. Elas são comuns em Apps mobile, e em sua maioria informam alguma novidade. Um exemplo dessa tecnologia são as mensagens de WhatsApp que são notificadas no seu celular ou quando alguém curte a sua foto no Instagram.

Recentemente, esta tecnologia vem sendo implementada em Web Sites, buscando criar uma maior interação com o público, sem que ele tenha a necessidade de baixar algum aplicativo em uma loja de aplicativos.

4. Web App Manifest

Segundo o Web Fundamentals da Google, o Web App Manifest é um documento que tem como finalidade padronizar as aplicações Web, o que possibilita que o usuário tenha como adicionar um ícone do site em sua tela inicial, sem ter a necessidade de baixar um aplicativo.

Ao incluir esta tecnologia em seu projeto, o seu usuário tem acesso mais rápido ao seu conteúdo, o que faz com que toda a sua experiência seja mais enriquecedora. Embora possa ser usada em qualquer site, o Web App Manifest é obrigatório dentro do PWA.

Fonte: Gobacklog


Tags: #Aplicativos #APP #Desenvolvimento #Desenvolvimento de Aplicativos #google #JavaScript #Programação #PWA #Web